"...Em declarações à Lusa, Catarina de Albuquerque salientou que, em Portugal, a água da torneira "cumpre as directivas da União Europeia" ...

A título de exemplo, a especialista explicou que engarrafar água gasta duas mil vezes mais energia do que tê-la a sair da torneira e, ao comprá-la, o consumidor paga mil vezes mais por um litro do que o que paga a uma companhia de distribuição de água canalizada pela mesma quantidade..."
 
in JN
 
"A água distribuída na rede pública e colhida nas torneiras dos consumidores é submetida a centenas de milhares de análises anuais, em laboratórios acreditados, e os resultados obtidos são controlados pela Autoridade de Saúde (Delegados de Saúde), bem como pela entidade reguladora do sector"
 
nota de imprensa da ERSAR

voltar
Seara.com